Covid-19: com baixa adesão ao isolamento, Grande São Paulo tem 81% dos leitos de UTI ocupados

Matérias Oficiais(+10% Clicks) Yasmim 01/05/2020 Relatar Quero comentar

Contrariando todas as recomendações das autoridades de saúde, a população do Estado de São Paulo vem desrespeitando o isolamento, fazendo com que cresça os casos de Covid-19 e a ocupação dos leitos de UTI nos hospitais paulistas. Na segunda-feira (27), o índice de adesão ao isolamento alcançou 48%, índice muito abaixo dos pretendidos 70% pelo governo paulista.

Unidade da federação com o maior número de casos do novo coronavírus no País, o Estado de São Paulo contabilizou nesta terça-feira (28) um recorde de mortes pela doença, com 224 óbitos, aumento de 12% em relação ao número divulgado no dia anterior. Com isso, o Estado já contabiliza 2.049 mortes. A informação foi divulgada durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

“Como não temos uma fila de testes, isso significa que esses novos casos foram confirmados e são desses dias, por agora”, afirmou o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

Chefe do Centro de Contigência da Covid-19 no Estado, o infectologista Davi Uip afirmou que “o balanço de óbitos nas últimas 24 horas é o mais importante até então”. São Paulo tem 24.041 casos confirmados da doença, com 2.300 novos casos, aumento de 11%.

De acordo com o balanço do governo paulista, 81% dos leitos de UTI na Grande São Paulo estão ocupados. No Estado, o índice de ocupação é de 61,6%. De acordo com o secretário estadual da Saúde, 1.437 pessoas estão internadas em UTI. Em enfermaria, há 1.800 pacientes internados. A taxa de ocupação nesses leitos é de 44,5% no Estado e 70% na região metropolitana.

Quem circula pela capital paulista já percebeu que na maior cidade brasileira cresceu de forma preocupante o número de carros nas ruas e avenidas, o que significa que há maior contingente de pessoas em circulação. Isso faz com que a propagação do novo coronavírus ocorra de maneira mais rápida, colocando à beira do colapso o sistema público de saúde.

Diante da maneira irresponsável como muitos paulistanos estão lidando com o isolamento, o prefeito Bruno Covas poderá em breve bloquear ruas e avenidas da cidade de São Paulo para impedir a circulação de carros e consequentemente de pessoas. Esse cenário, que tem preocupado os profissionais de saúde, fará com que no próximo dia 11 de maio o isolamento não seja flexibilizado na capital paulista.

Comentário do usuário