Bolsonaro inclui atividades religiosas entre áreas essenciais e gera repercussão durante calamidade

Renan 26/03/2020 Relatar Quero comentar

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, vem recebendo inúmeras críticas durante esse período de pandemia, que por sinal assombra diversos países ao redor do mundo. O que se agravou após seu pronunciamento, feito durante a noite desta terça-feira (24). Tendo em vista que muitas pessoas não concordaram com suas colocações.

O fato é que uma nova polêmica surgiu no dia de ontem (25), quando Bolsonaro editou um decreto que afeta muitas pessoas. Já que as consideradas atividades religiosas foram incluídas em uma lista que estão os setores essenciais para a população durante o período de calamidade.

Ou seja, as igrejas passam a ter seu funcionamento regulado diretamente pelo Ministério da Saúde. O que de certa maneira, pode tornar possível a realização de cerimônias religiosas, ainda que de forma restritiva. Mesmo se levarmos em conta que a orientação é não existir locais com grandes aglomerações.

Vale lembrar que o novo decreto ainda beneficia outras categorias, como casas lotéricas e ainda áreas dos setores produtivos e financeiros. Que a partir da inclusão também fazem parte dos setores considerados essenciais.

Segundo o secretário-executivo do governo, a medida é considerada muito importante. Pois mesmo com a não realização de cultos e missas, as igrejas podem ficar abertas para os fiéis fazerem suas orações. O que é considerado um grande avanço pelas autoridades religiosas existentes em nosso país.

Comentário do usuário
Você pode gostar