Ford e Mercedes começam a fabricar máscara e respirador contra coronavírus no Brasil

Igor Silva 06/05/2020 Relatar Quero comentar

Com suas fábricas em ritmo mais lento de produção, as montadoras de veículos vão ajudar na fabricação de equipamentos médicos no combate à pandemia do novo coronavírus.

A Ford vai usar as suas instalações de Camaçari (BA) e Pacheco, na Argentina, para fazer 50 mil máscaras. As peças serão doadas a órgãos públicos e organizações sem fins lucrativos.

As máscaras, fabricadas com lâmina de acetato e peças de suporte, fazem parte dos itens de proteção individual requisitados por esses profissionais no momento.

A distribuição nos pontos de serviço será coordenada por meio das Secretarias de Saúde e da Cruz Vermelha.

Para a fabricação, foi criada uma linha de montagem exclusiva, que será formada por voluntários, respeitando as regras de distanciamento social e com protocolos de proteção e processos de constante higienização pessoal e desinfecção do ambiente de trabalho.

Além disso, a Ford está disponibilizando veículos à Cruz Vermelha no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e Peru para auxiliar no trabalho com o transporte de equipes e suprimentos.

A frota inclui os modelos Transit, Fusion, EcoSport, Ranger e Ka, além de uma ambulância.

A Mercedes vai usar a fábrica de São Bernardo do Campo (grande São Paulo) para o desenvolvimento de respiradores utilizando como matéria-prima peças da indústria automotiva. Os testes já foram iniciados nessa semana e a expectativa é que a sua produção comece nos próximos dias.

O trabalho é feito em parceria com o Instituto Mauá de Tecnologia.

A fabricante também trabalha no desenvolvimento e produção de máscaras de proteção facial. Os equipamentos já estão sendo feitos em impressoras 3D da empresa (média de 10 por dia) e do Instituto Mauá, conforme a demanda, e serão destinados para hospitais da região do ABC.

Manutenção de frota

A Volkswagen vai oferecer a sua ajuda com a manutenção gratuita de veículos da marca da frota da Secretaria da Saúde dos estados de São Paulo e Paraná, estados onde a marca possui fábricas.

A mão de obra dos serviços é gratuita e as peças são cobradas a preço de custo das secretarias para não onerar as concessionárias da marca. Esta ação também se estende a reparos para os 100 veículos disponibilizados pela Volkswagen que já estão sendo utilizados pelas prefeituras das cidades que sediam fábricas da marca e pelo Governo do Estado de São Paulo para ajudar no combate à epidemia.

Comentário do usuário